0697

ERVEDOSA, Carlos

Arqueologia angolana.

s/e. Lisboa: Edições 70, 1980.

Vergílio

ERVEDOSA, Carlos

Era no tempo das acácias floridas.

s/e. Linda-a-Velha: Edições ALAC, 1990. 208 p.

Tomás

Memórias saudosas sobre uma Luanda que se esvaneceu no tempo. “Sonho por vezes, de olhos abertos, que chego a Luanda. Como se fosse antigamente, nos anos 50, em férias de estudante. No cais muita gente à espera, na gare e por entre os altos guindastes. Lá atrás, os armazéns do porto, e as falésias do Bungo mais além, aprumadas e plissadas como um pano de fundo. Algures , um rádio transmite “A canção de Luanda” que o Cochat Osório escreveu e a Júlia Barroso emprestou a voz: “Anda ver a minha terra / anda ver / anda ver que hás-de gostar…”.

0698

ERVEDOSA, Carlos

Roteiro da literatura angolana.

2ª ed. rev. e act. Lisboa: Edições 70, s.d. [1979]. 170 p.

Vergílio